Navegando no ambiente

 

IMAGEM

 

Temos encontrado vários cursos semipresenciais e/ou à distância que embora façam uso de um ambiente de apoio para disponibilizar materiais e desenvolver atividades com os alunos usam um formato de material que se assemelha, em muitos aspectos, a um livro didático. 

O que queremos dizer com isso? 

O texto do material, em geral, é bem preparado e “simula” um diálogo com o aluno. Em geral, faz uso de uma linguagem coloquial o que, de certa maneira, aproxima o aluno da sugestão de atividade/leitura proposta. O texto introduz o tema a ser discutido, organiza as ações que ao aluno deve realizar, propõe leituras e atividades, convida o aluno a debater o assunto com os colegas. No entanto, isso tudo é apresentado em um único texto que, no TelEduc, por exemplo, poderia ser colocado na ferramenta Material de Apoio. Alguma coisa mais ou menos assim:

IMAGEM2

Uma das dificuldades observadas na passagem presencial-semipresencial-distância é exatamente o “mapeamento” das ações pretendidas pelo professor (e os conteúdos que ele pretende tratar) nas diferentes ferramentas do ambiente. 

No exemplo acima seria possível – a depender dos objetivos do professor/formador – organizar esse conjunto de ações usando diferentes ferramentas. Vejamos uma ideia: 

O “encaminhamento da tarefa” pode ser feito na ferramenta Atividade (i) usando o próprio editor de texto ou (ii) anexando um arquivo que contém, além do encaminhamento, um roteiro para o aluno escrever a sua resposta. No caso de (i) o professor/formador deixa o formato da resposta livre e em (ii) o professor/formador oferece um “modelo” (um gênero textual a ser seguido) de como o aluno deve estruturar a sua resposta. Essa escolha dependerá, certamente, dos objetivos do professor/formador em relação a esses alunos em particular. O aluno poderá entregar a sua Atividade usando a ferramenta Portfólio Individual

A “discussão com os colegas” pode ser feita por meio da postagem de Comentários nos Portfólios Individuais que devem, para tanto, estar Totalmente compartilhados

O professor/formador pode, ainda, estabelecer prazos (estipulados por meio da Agenda) tanto para a postagem de Comentários (leituras dos alunos das Atividades de cada um) quanto para a reescrita da Atividade original a partir dos Comentários recebidos. O professor/formador pode ainda propor variações:

  • Abrir um Fórum de Discussão após o término do prazo para a inserção de Comentários;
  • Dividir os alunos em subgrupos para leitura das Atividades de outro subgrupo e posterior elaboração de relatórios de leitura que podem ser disponibilizados nos Portfólios de Grupo
  • Pedir aos alunos que indiquem “dúvidas” (via Correio) para organizar uma pauta de discussão via Bate-papo
  • Pedir aos alunos que indiquem no Mural pelo menos 1 site cujo conteúdo se relaciona ao tema tratado fazendo um breve resumo do seu conteúdo

Retomando o exemplo apresentado percebemos que a organização dos conteúdos no ambiente convida o aluno a “navegar” por ele fazendo uso de diferentes ferramentas que articulam sua ação.